O termo fake fur diz respeito a qualquer material, geralmente feito de celulose ou de fibras sintéticas, projetado para simular pele animal, para aplicações em moda e em objetos de decoração. Também chamado de faux fur, sua origem data da década de 1920, nos Estados Unidos. Porém, seu lançamento comercial se deu somente 30 anos mais tarde, na década de 1950, naquele mesmo país. De lá pra cá, o uso dessa técnica tem se tornado
Dicas e Tendências  , , , , ,
O Índice de Expansão do Comércio (IEC), calculado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), apontou leve alta de 0,7% em outubro, passando de 94,2 pontos em setembro para os atuais 94,8. Esse foi o segundo recuo consecutivo. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, indicador voltou a cair (-3,7%) – a queda na comparação interanual não acontecia desde junho de 2016. Entretanto, houve
Economia  , , , ,
Dando continuidade à série sobre os designers das empresas associadas à ABCasa, desta vez conversamos com Patrícia Sandrin, responsável pelas criações do Grupo Brinox. A empresa é uma das maiores fabricantes de utilidades domésticas do Brasil, tendo sido fundada em 1988, no polo industrial de Caxias do Sul (RS). Com uma história marcada por investimentos, ampliações e um grande complexo comercial e logístico, o grupo deu um passo importante em 2011, estreitando parceria estratégica com
Associados, Dicas e Tendências, Inovação  , , , , ,
Apresentando várias novidades em 2018, a ABCasa lança mais uma frente de atuação, voltada para o incentivo a ações sociais relacionadas aos setores em que atua e que possam gerar impacto na sociedade. Trata-se do programa ABCasa Social, que já está sendo desenvolvido. Conforme definido na última assembleia da entidade, realizada em agosto, o núcleo será liderado pelo associado Cássio Berbari, da empresa Porcelana & Cia, e contará com a participação de Rossana Simonato, da
ABCasa, ABCasa Social  , ,
Após a divulgação pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) da alta de 4,2% do comércio varejista em agosto, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revisou de +4,3% para +4,5% sua estimativa de crescimento do setor este ano. Foi a primeira revisão positiva desde a greve dos caminhoneiros, em maio. Para a entidade, a liberação de recursos do PIS/PASEP ajudou nas vendas em agosto, injetando no consumo aproximadamente R$
Economia  , , ,