Showing posts tagged with: economia
14dez
Artigos para casa e decoração estão entre os itens mais buscados pelo consumidor para gastar o 13º salário
Economia

Após o sucesso da Black Friday, o pagamento do 13º salário aos consumidores promete aquecer ainda mais o varejo nesta reta final de ano, devendo injetar R$ 211,2 bilhões na economia.

De acordo com uma pesquisa do Google, 31 milhões de pessoas irão gastar o valor em compras. Itens como móveis e artigos para casa são de interesse de 26% dos entrevistados, atrás apenas de roupas e calçados (27%).

O segmento também esteve entre os mais requisitados na Black Friday, que superou as expectativas e teve resultados maiores do que o esperado neste ano.

De acordo com a consultoria Ebit, apenas durante a quinta e a sexta de promoções, o faturamento do e-commerce foi de R$ 2,6 bilhões, 23% acima do mesmo período de 2017. No cálculo de quinta a domingo, o volume de vendas da Black Friday cresceu 11,2% se comparado ao ano passado. A data é importante para as empresas, principalmente para o comércio eletrônico, já que representa 4,5% do faturamento anual da categoria.

Os resultados confirmam o aquecimento do setor de artigos para casa e decoração, que, de acordo com a pesquisa inédita realizada pela ABCasa e IEMI, movimentou R$ 54,1 bilhões na economia brasileira em 2017.

De acordo com o levantamento, são 173,5 mil pontos de venda em todo o Brasil, dos quais 129,6 mil pontos de venda de varejo especializados em artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas, e outros 43,9 mil são não especializados, como lojas de departamentos, variedades e home centers.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


14dez
Campinas está entre as 15 maiores cidades do Brasil no consumo de artigos para casa e decoração
Economia

Campinas está entre as 15 maiores cidades do Brasil quando o assunto é o consumo de artigos para casa e decoração. Mapeamento inédito produzido pela ABCasa (Associação Brasileira de Artigos para Casa, Decoração, Presentes, Utilidades Domésticas, Festas e Flores) e pelo instituto IEMI Inteligência de Mercado mostra que, em 2017, a cidade ficou na 12ª colocação no ranking brasileiro, sendo a segunda maior cidade do estado.

A participação de Campinas no mapa geral de consumo é de 0,88%. Entre as classes sociais, se destacam a B1 e A, respectivamente com 1,61% e 1,27% de participação.

A liderança do ranking pertence a São Paulo (SP), com 8,93%, seguida por Belo Horizonte (MG), com 3,10%, Rio de Janeiro (RJ), com 2,75%, Brasília (DF), com 2,70%, e Porto Alegre (RS), com 1,94%.

Em São Paulo, Campinas fica atrás somente da capital. Completam o ranking das 10 maiores cidades do estado no segmento Guarulhos (0,60%), São Bernardo do Campo (0,54%), Santo André (0,49%), Ribeirão Preto (0,47%), São José dos Campos (0,46%), Osasco (0,43%), Sorocaba (0,39%) e Santos (0,39%).

Outras cidades da região de Campinas integram o ranking: Piracicaba é a 49ª colocada, com 0,25% de participação; Limeira é a 90ª, com 0,16%; Americana vem logo em seguida, na 91ª posição, com 0,16%; Indaiatuba é a 94ª, com 0,15%; Sumaré é a 109ª, com 0,13%; Paulínia é a 140ª, com 0,10%; Valinhos é a 141ª, com 0,10%; Itu é a 142ª, com 0,10%; Santa Bárbara D’Oeste é a 147ª, com 0,10%; e Hortolândia está na 150ª posição, com 0,09%.

No geral, o varejo de artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas movimentou R$ 54,1 bilhões na economia brasileira em 2017. De acordo com a pesquisa, são 173,5 mil pontos de venda em todo o Brasil, dos quais 129,6 mil pontos de venda de varejo especializados em artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas, e outros 43,9 mil são não especializados, como lojas de departamentos, variedades e home centers. A mão de obra total empregada pelo varejo corresponde a 2,2 milhões de pessoas.

Entre as regiões brasileiras que mais consomem artigos para casa, o Sudeste tem a maior participação (46,2%), seguido por Nordeste (18,7%), Sul (20,7%), Norte (6,9%) e Centro-Oeste (7,4%).

As empresas atacadistas são integrantes importantes deste mercado, dado que a oferta interna de artigos para casa é composta pela produção nacional mais as importações do setor. Em sua grande maioria, estas empresas se suprem de importações e as distribuem no mercado interno. Em 2017, as empresas atacadistas somaram 6,9 mil unidades, responsáveis por empregar diretamente 107,6 mil funcionários.

Quanto ao comércio exterior desse setor, foram importados US$ 1,1 bilhão, em valores FOB (free on board). Já as exportações brasileiras, em 2017, somaram US$ 883,9 milhões, também em valores FOB.

“Já sabíamos que o setor tinha grandes cifras, mas esses números nos surpreenderam positivamente. São 173 mil estabelecimentos vendendo artigos para casa, decoração e presentes. Quase três milhões de pessoas empregadas diretamente e R$ 54 bilhões gerados, números gigantescos. Isso aumenta a responsabilidade da ABCasa em fazer um trabalho de excelência, em prol do mercado, aproveitando as oportunidades, disponibilizando ferramentas para os associados, para que todos possam continuar crescendo”, destaca Renato Orensztejn, presidente da ABCasa.

“Sem dúvida, são números impressionantes, que superaram as nossas expectativas iniciais. O que mais nos chamou a atenção, enquanto pesquisadores, foi a diversidade das fontes de suprimento (nacionais e importados, de diferentes regiões do planeta) e a oferta quase ilimitada de produtos e marcas, que garantem ao segmento uma enorme capacidade de competição e uma grande atratividade junto a seus consumidores”, complementa Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


06dez
FecomercioSP lança ferramenta que projeta a tendência de faturamento de empresas do varejo nos próximos três meses
Economia

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) lançou recentemente a ferramenta Projeta, que permite que o empresário faça uma estimativa da tendência do seu faturamento para os próximos três meses.

O programa, seguro e de baixo custo, é um modelo estatístico que, com base no histórico de comportamento de dados, traz ao empresário três projeções: de quanto as vendas de sua empresa tendem a crescer ou cair no período, como o ramo que ele atua reagirá e como será o comportamento total do varejo na região e no Estado de São Paulo.

De acordo com a assessoria econômica da Entidade, responsável pelo desenvolvimento do sistema, o Projeta foi criado com base em dados coletados pela Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PCCV), realizada pela Entidade de acordo com informações disponibilizadas pela Secretaria da Fazenda estadual (Sefaz/SP). A ferramenta usará os números colhidos a partir de 2009.

As informações da PCCV já são disponibilizadas mensalmente pela FecomercioSP a todos os varejistas do Estado. Entretanto, com a ferramenta, o varejista poderá projetar com um grau razoável de confiança a tendência para os próximos três meses.

Dessa forma, o empresário conseguirá ter mais condições de realizar o gerenciamento de seu nível de estoque, saber se deve comprar mais ou menos, se deve fazer algum tipo de promoção ou liquidação ou ajustar seu padrão de custos, por exemplo. Também terá mais facilidade em avaliar se precisa aumentar o seu quadro de pessoal e ainda poderá se atentar ao nível de endividamento.

Se a estimativa mostrar uma tendência de retração de consumo nos próximos meses, evidentemente o varejista poderá se antecipar e reduzir seu o de exposição nesses próximos três meses, avalia a FecomercioSP.

Como usar

O Projeta é uma ferramenta online que oferece praticidade ao empresário. Por meio de um site, o varejista deve cadastrar seus dados principais e inserir as informações dos seus últimos cinco anos de vendas, uma única vez. A partir daí, basta apenas que ele atualize a informação de vendas todos os meses, e uma nova projeção será disponibilizada.

Os dados e indicadores utilizados se baseiam nas informações obrigatórias que as empresas varejistas informam à Sefaz de forma coletiva, e não individualizada, o que garante o sigilo da informação. Além disso, a FecomercioSP ressalta que os dados informados pelo usuário dentro do sistema também serão mantidos em absoluto sigilo e usados apenas para essa estimativa.

Saiba mais e acesse a ferramenta em http://projeta.fecomercio.com.br/.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


19nov
Varejo vai crescer 4,5% em 2018 e 5,2% em 2019, projeta CNC
Economia

Dados divulgados na Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE, mostram que o faturamento real dos dez segmentos que compõem o chamado comércio varejista ampliado – que engloba as vendas do comércio automotivo e das lojas de materiais de construção – apresentou queda de 1,5% em setembro, na comparação com o mês anterior, já descontados os efeitos sazonais.

Foi o mês mais fraco do varejo desde maio, quando as vendas desabaram 4,9% em decorrência da greve dos caminhoneiros.

Mas, apesar da desaceleração no ritmo das vendas, o varejo caminha para o segundo ano de expansão no seu faturamento real, aponta a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A entidade considera que o ritmo de crescimento até o fim do ano certamente será menor do que o da primeira metade de 2018, quando foi registrada alta de +5,4%.

Ainda assim, projeta que as vendas vão crescer a um ritmo de 2,4% em relação à segunda metade de 2017.

E, para o ano de 2018, mantém sua expectativa de variação do volume de vendas para o varejo ampliado em +4,5%. Para 2019, a projeção é de aumento de 5,2%. No ano passado, as vendas avançaram +4,0% em relação ao ano anterior.

Saques do PIS/Pasep elevaram base comparativa

“As vendas do varejo haviam subido 4,2% em agosto, por conta do início dos saques nas contas do PIS/Pasep, impondo uma base mais elevada de comparação no mês de setembro. Considerando o ritmo de crescimento das vendas do varejo até julho, pode-se quantificar em R$ 10,1 bilhões o efeito PIS/Pasep no comércio, no bimestre agosto/setembro, cifra próxima dos R$ 10,3 bilhões previstos pela CNC antes do início do programa de saques”, explica Fabio Bentes, chefe da Divisão Econômica da Confederação.

De acordo com Bentes, além da dificuldade de sustentar o ritmo de avanço das vendas, a inflação – que havia variado -0,1% em agosto – mostrou aceleração no mês seguinte (+0,5%), de acordo com o IPCA.

Assim, dos dez segmentos que compõem o varejo brasileiro, oito colheram taxas negativas no nono mês do ano, destacando-se os ramos de combustíveis e lubrificantes (-2,0%) e as lojas de materiais de construção (-1,7%).

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


07nov
Em outubro, confiança do consumidor subiu pelo terceiro mês consecutivo
Economia

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) paulistano avançou pelo terceiro mês consecutivo em outubro, alta de 1,1% ao passar de 106,8 em setembro, para 107,9 pontos no mês. Em relação ao mesmo período de 2017, o indicador avançou 5%.

O ICC é elaborado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e a escala de pontuação varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

Entre os dois quesitos que compõem o indicador, o Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) exibiu queda de 2%, ao passar de 80,4 em setembro para 78,7 pontos em outubro. Já o Índice de Expectativas do Consumidor (IEC) avançou 2,4%, ao passar de 124,4 em setembro para 127,4 pontos em outubro. No comparativo anual, ambos registraram alta de 7,9%  e 3,8% respectivamente.

Gênero e renda

O resultado do ICEA destaca as assimetrias verificadas na classe de renda e no corte por gênero. A percepção dos consumidores com renda familiar inferior a dez salários mínimos (SM) em relação às condições econômicas atuais registrou leve alta de 0,3%, passando de 76,3 pontos em setembro para 76,5 em outubro. Já os consumidores acima desse patamar descreveram queda de 6,2%, ao passar de 89 pontos em setembro para 83,5 em outubro.

Na segmentação por gênero, o público masculino sofreu queda de 3,4%, ao passar de 87,7 pontos em setembro para 84,7 em outubro. Enquanto o grupo feminino registrou leve queda de 0,4%, ao passar de 73,1 pontos em setembro para 72,8 ponto em outubro.

No IEC, destacam-se as duas maiores altas: o grupo daqueles consumidores com idade superior a 35 que registraram avanço de 4,8% ao passar de 118,6 em setembro para 124,3 pontos em outubro e o grupo feminino que descreveu alta de 3,8% passando de 119,9 em setembro para 124,5 pontos em outubro.

De acordo com a FecomercioSP, a terceira alta consecutiva do ICC demonstra que as expectativas dos consumidores melhoraram, contudo, diante do cenário atual turbulento, com menor recuperação do consumo das famílias e incertezas políticas, ainda há volatilidade nos indicadores, fazendo com que as médias das Condições Econômicas Atuais voltassem a cair. Os consumidores se mostram mais preocupados com suas condições econômicas do presente, assim, ajustam para baixo suas avaliações e ao mesmo tempo incorporam percepções um pouco mais otimistas quanto ao futuro. As incertezas devem diminuir após a definição eleitoral.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


Credencie-se para a próxima ABCasa Fair