Showing posts tagged with: pesquisa
11jan
Uberlândia é a 16ª maior cidade do Brasil no consumo de artigos para casa e decoração
Economia

Uberlândia está entre as maiores cidades do Brasil quando o assunto é o consumo de artigos para casa e decoração. Mapeamento inédito produzido pela ABCasa (Associação Brasileira de Artigos para Casa, Decoração, Presentes, Utilidades Domésticas, Festas e Flores) e pelo instituto IEMI Inteligência de Mercado mostra que, em 2017, a cidade ficou na 16ª colocação no ranking brasileiro de 2017, sendo a segunda maior cidade de Minas Gerais no ranking.

A participação de Uberlândia no mapa geral de consumo é de 0,57%. Entre as classes, se destacam a B2 e A, respectivamente com 0,77% e 0,74% de participação.

A liderança do ranking pertence a São Paulo (SP), com 8,93%, seguida por Belo Horizonte (MG), com 3,10%, Rio de Janeiro (RJ), com 2,75%, Brasília (DF), com 2,70%, e Porto Alegre (RS), com 1,94%.

No estado de Minas Gerais, Uberlândia perde somente para a capital, ficando à frente de cidades como Juiz de Fora, que é a 26ª, com 0,46%; Contagem, a 28ª, com 0,43%; e Uberaba, a 47ª, com 0,26%.

No geral, o varejo de artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas movimentou R$ 54,1 bilhões na economia brasileira em 2017. De acordo com a pesquisa, são 173,5 mil pontos de venda em todo o Brasil, dos quais 129,6 mil pontos de venda de varejo especializados em artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas, e outros 43,9 mil são não especializados, como lojas de departamentos, variedades e home centers. A mão de obra total empregada pelo varejo corresponde a 2,2 milhões de pessoas.

Entre as regiões brasileiras que mais consomem artigos para casa, o Sudeste tem a maior participação (46,2%), seguido por Nordeste (18,7%), Sul (20,7%), Norte (6,9%) e Centro-Oeste (7,4%). No Sudeste, Minas Gerais vem na segunda colocação, com 10,2% de participação, enquanto São Paulo tem 21,7%, o Rio de Janeiro tem 8,1% e o Espírito Santo tem 1,9%.

As empresas atacadistas são integrantes importantes deste mercado, dado que a oferta interna de artigos para casa é composta pela produção nacional mais as importações do setor. Em sua grande maioria, estas empresas se suprem de importações e as distribuem no mercado interno. Em 2017, as empresas atacadistas somaram 6,9 mil unidades, responsáveis por empregar diretamente 107,6 mil funcionários.

Quanto ao comércio exterior desse setor, foram importados US$ 1,1 bilhão, em valores FOB (free on board). Já as exportações brasileiras, em 2017, somaram US$ 883,9 milhões, também em valores FOB.

“Já sabíamos que o setor tinha grandes cifras, mas esses números nos surpreenderam positivamente. São 173 mil estabelecimentos vendendo artigos para casa, decoração e presentes. Quase três milhões de pessoas empregadas diretamente e R$ 54 bilhões gerados, números gigantescos. Isso aumenta a responsabilidade da ABCasa em fazer um trabalho de excelência, em prol do mercado, aproveitando as oportunidades, disponibilizando ferramentas para os associados, para que todos possam continuar crescendo”, destaca Renato Orensztejn, presidente da ABCasa.

“Sem dúvida, são números impressionantes, que superaram as nossas expectativas iniciais. O que mais nos chamou a atenção, enquanto pesquisadores, foi a diversidade das fontes de suprimento (nacionais e importados, de diferentes regiões do planeta) e a oferta quase ilimitada de produtos e marcas, que garantem ao segmento uma enorme capacidade de competição e uma grande atratividade junto a seus consumidores”, complementa Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


04jan
Curitiba é a sexta maior cidade do Brasil no consumo de artigos para casa e decoração
Economia

Curitiba é a sexta maior cidade do Brasil quando o assunto é o consumo de artigos para casa e decoração. Os dados foram mostrados por mapeamento inédito produzido pela ABCasa (Associação Brasileira de Artigos para Casa, Decoração, Presentes, Utilidades Domésticas, Festas e Flores) e pelo instituto IEMI Inteligência de Mercado.

A participação de Curitiba no mapa geral de consumo foi de 1,61% em 2017. Entre as classes sociais, se destacam a A e a B2, empatadas com 2,14% de participação cada.

A liderança do ranking pertence a São Paulo (SP), com 8,93%. Depois seguem Belo Horizonte (MG), com 3,10%; Rio de Janeiro (RJ), com 2,75%, Brasília (DF), com 2,70%, e Porto Alegre (RS), com 1,94%.

Além da capital, diversas cidades paranaenses aparecem no ranking das 150 maiores cidades do Brasil nesse segmento: Londrina é a 36ª colocada, com 0,36% de participação; Maringá é a 44ª colocada, com 0,30%; Cascavel é a 67ª colocada, com 0,20%; São José dos Pinhais vem em seguida, na 68ª posição, com 0,19%; Ponta Grossa é a 71ª, com 0,19%; Foz do Iguaçu é a 101ª, com 0,14%; e Colombo vem em 136º lugar, com 0,11%.

No geral, o varejo de artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas movimentou R$ 54,1 bilhões na economia brasileira em 2017. De acordo com a pesquisa, são 173,5 mil pontos de venda em todo o Brasil, dos quais 129,6 mil pontos de venda de varejo especializados em artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas, e outros 43,9 mil são não especializados, como lojas de departamentos, variedades e home centers. A mão de obra total empregada pelo varejo corresponde a 2,2 milhões de pessoas.

Entre as regiões brasileiras que mais consomem artigos para casa, o Sudeste tem a maior participação (46,2%), seguido por Nordeste (18,7%), Sul (20,7%), Norte (6,9%) e Centro-Oeste (7,4%). No Sul, Paraná e Rio Grande do Sul estão empatados com 5,5% de participação, enquanto Santa Catarina tem 3,4%.

As empresas atacadistas são integrantes importantes deste mercado, dado que a oferta interna de artigos para casa é composta pela produção nacional mais as importações do setor. Em sua grande maioria, estas empresas se suprem de importações e as distribuem no mercado interno. Em 2017, as empresas atacadistas somaram 6,9 mil unidades, responsáveis por empregar diretamente 107,6 mil funcionários.

Quanto ao comércio exterior desse setor, foram importados US$ 1,1 bilhão, em valores FOB (free on board). Já as exportações brasileiras, em 2017, somaram US$ 883,9 milhões, também em valores FOB.

“Já sabíamos que o setor tinha grandes cifras, mas esses números nos surpreenderam positivamente. São 173 mil estabelecimentos vendendo artigos para casa, decoração e presentes. Quase três milhões de pessoas empregadas diretamente e R$ 54 bilhões gerados, números gigantescos. Isso aumenta a responsabilidade da ABCasa em fazer um trabalho de excelência, em prol do mercado, aproveitando as oportunidades, disponibilizando ferramentas para os associados, para que todos possam continuar crescendo”, destaca Renato Orensztejn, presidente da ABCasa.

“Sem dúvida, são números impressionantes, que superaram as nossas expectativas iniciais. O que mais nos chamou a atenção, enquanto pesquisadores, foi a diversidade das fontes de suprimento (nacionais e importados, de diferentes regiões do planeta) e a oferta quase ilimitada de produtos e marcas, que garantem ao segmento uma enorme capacidade de competição e uma grande atratividade junto a seus consumidores”, complementa Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


14dez
Campinas está entre as 15 maiores cidades do Brasil no consumo de artigos para casa e decoração
Economia

Campinas está entre as 15 maiores cidades do Brasil quando o assunto é o consumo de artigos para casa e decoração. Mapeamento inédito produzido pela ABCasa (Associação Brasileira de Artigos para Casa, Decoração, Presentes, Utilidades Domésticas, Festas e Flores) e pelo instituto IEMI Inteligência de Mercado mostra que, em 2017, a cidade ficou na 12ª colocação no ranking brasileiro, sendo a segunda maior cidade do estado.

A participação de Campinas no mapa geral de consumo é de 0,88%. Entre as classes sociais, se destacam a B1 e A, respectivamente com 1,61% e 1,27% de participação.

A liderança do ranking pertence a São Paulo (SP), com 8,93%, seguida por Belo Horizonte (MG), com 3,10%, Rio de Janeiro (RJ), com 2,75%, Brasília (DF), com 2,70%, e Porto Alegre (RS), com 1,94%.

Em São Paulo, Campinas fica atrás somente da capital. Completam o ranking das 10 maiores cidades do estado no segmento Guarulhos (0,60%), São Bernardo do Campo (0,54%), Santo André (0,49%), Ribeirão Preto (0,47%), São José dos Campos (0,46%), Osasco (0,43%), Sorocaba (0,39%) e Santos (0,39%).

Outras cidades da região de Campinas integram o ranking: Piracicaba é a 49ª colocada, com 0,25% de participação; Limeira é a 90ª, com 0,16%; Americana vem logo em seguida, na 91ª posição, com 0,16%; Indaiatuba é a 94ª, com 0,15%; Sumaré é a 109ª, com 0,13%; Paulínia é a 140ª, com 0,10%; Valinhos é a 141ª, com 0,10%; Itu é a 142ª, com 0,10%; Santa Bárbara D’Oeste é a 147ª, com 0,10%; e Hortolândia está na 150ª posição, com 0,09%.

No geral, o varejo de artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas movimentou R$ 54,1 bilhões na economia brasileira em 2017. De acordo com a pesquisa, são 173,5 mil pontos de venda em todo o Brasil, dos quais 129,6 mil pontos de venda de varejo especializados em artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas, e outros 43,9 mil são não especializados, como lojas de departamentos, variedades e home centers. A mão de obra total empregada pelo varejo corresponde a 2,2 milhões de pessoas.

Entre as regiões brasileiras que mais consomem artigos para casa, o Sudeste tem a maior participação (46,2%), seguido por Nordeste (18,7%), Sul (20,7%), Norte (6,9%) e Centro-Oeste (7,4%).

As empresas atacadistas são integrantes importantes deste mercado, dado que a oferta interna de artigos para casa é composta pela produção nacional mais as importações do setor. Em sua grande maioria, estas empresas se suprem de importações e as distribuem no mercado interno. Em 2017, as empresas atacadistas somaram 6,9 mil unidades, responsáveis por empregar diretamente 107,6 mil funcionários.

Quanto ao comércio exterior desse setor, foram importados US$ 1,1 bilhão, em valores FOB (free on board). Já as exportações brasileiras, em 2017, somaram US$ 883,9 milhões, também em valores FOB.

“Já sabíamos que o setor tinha grandes cifras, mas esses números nos surpreenderam positivamente. São 173 mil estabelecimentos vendendo artigos para casa, decoração e presentes. Quase três milhões de pessoas empregadas diretamente e R$ 54 bilhões gerados, números gigantescos. Isso aumenta a responsabilidade da ABCasa em fazer um trabalho de excelência, em prol do mercado, aproveitando as oportunidades, disponibilizando ferramentas para os associados, para que todos possam continuar crescendo”, destaca Renato Orensztejn, presidente da ABCasa.

“Sem dúvida, são números impressionantes, que superaram as nossas expectativas iniciais. O que mais nos chamou a atenção, enquanto pesquisadores, foi a diversidade das fontes de suprimento (nacionais e importados, de diferentes regiões do planeta) e a oferta quase ilimitada de produtos e marcas, que garantem ao segmento uma enorme capacidade de competição e uma grande atratividade junto a seus consumidores”, complementa Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


26nov
Ribeirão Preto está entre as 25 maiores cidades do Brasil no consumo de artigos para casa e decoração
Economia

Ribeirão Preto está entre as 25 maiores cidades do Brasil quando o assunto é o consumo de artigos para casa e decoração. Mapeamento inédito produzido pela ABCasa (Associação Brasileira de Artigos para Casa, Decoração, Presentes, Utilidades Domésticas, Festas e Flores) e pelo instituto IEMI Inteligência de Mercado mostra que, em 2017, a cidade ficou na 23ª colocação no ranking brasileiro de 2017.

A participação de Ribeirão Preto no mapa geral de consumo é de 0,47%. Entre as classes, se destacam a B1 e B2, respectivamente com 0,72% e 0,58% de participação.

A liderança do ranking pertence a São Paulo (SP), com 8,93%, seguida por Belo Horizonte (MG), com 3,10%, Rio de Janeiro (RJ), com 2,75%, Brasília (DF), com 2,70%, e Porto Alegre (RS), com 1,94%.

No estado de São Paulo, Ribeirão Preto fica atrás de Campinas (0,88%), Guarulhos (0,60%), São Bernardo do Campo (0,54%) e Santo André (0,49%), mas está a frente de São José dos Campos (0,46%), Osasco (0,43%), Sorocaba (0,39%), Santos (0,39%), Jundiaí (0,34%) e São José do Rio Preto (0,29%).

No ranking das 150 maiores cidades do Brasil, aparecem algumas próximas de Ribeirão Preto, mas em posições bem diferentes: Franca é a 84ª colocada, com 0,17% de participação; São Carlos é a 96ª, com 0,15%; Araraquara é a 104ª, com 0,14%.

No geral, o varejo de artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas movimentou R$ 54,1 bilhões na economia brasileira em 2017. De acordo com a pesquisa, são 173,5 mil pontos de venda em todo o Brasil, dos quais 129,6 mil pontos de venda de varejo especializados em artigos para casa, decoração, presentes e utilidades domésticas, e outros 43,9 mil são não especializados, como lojas de departamentos, variedades e home centers. A mão de obra total empregada pelo varejo corresponde a 2,2 milhões de pessoas.

Entre as regiões brasileiras que mais consomem artigos para casa, o Sudeste tem a maior participação (46,2%), seguido por Nordeste (18,7%), Sul (20,7%), Norte (6,9%) e Centro-Oeste (7,4%).

As empresas atacadistas são integrantes importantes deste mercado, dado que a oferta interna de artigos para casa é composta pela produção nacional mais as importações do setor. Em sua grande maioria, estas empresas se suprem de importações e as distribuem no mercado interno. Em 2017, as empresas atacadistas somaram 6,9 mil unidades, responsáveis por empregar diretamente 107,6 mil funcionários.

Quanto ao comércio exterior desse setor, foram importados US$ 1,1 bilhão, em valores FOB (free on board). Já as exportações brasileiras, em 2017, somaram US$ 883,9 milhões, também em valores FOB.

“Já sabíamos que o setor tinha grandes cifras, mas esses números nos surpreenderam positivamente. São 173 mil estabelecimentos vendendo artigos para casa, decoração e presentes. Quase três milhões de pessoas empregadas diretamente e R$ 54 bilhões gerados, números gigantescos. Isso aumenta a responsabilidade da ABCasa em fazer um trabalho de excelência, em prol do mercado, aproveitando as oportunidades, disponibilizando ferramentas para os associados, para que todos possam continuar crescendo”, destaca Renato Orensztejn, presidente da ABCasa.

“Sem dúvida, são números impressionantes, que superaram as nossas expectativas iniciais. O que mais nos chamou a atenção, enquanto pesquisadores, foi a diversidade das fontes de suprimento (nacionais e importados, de diferentes regiões do planeta) e a oferta quase ilimitada de produtos e marcas, que garantem ao segmento uma enorme capacidade de competição e uma grande atratividade junto a seus consumidores”, complementa Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


12nov
Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia, aponta pesquisa CNDL/SPC Brasil
Economia

A maior parte dos brasileiros pretende manter a tradição e ir às compras neste Natal, movimento que promete aquecer as vendas do varejo em 2018. É o que revela pesquisa realizada em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). As projeções permanecem no mesmo patamar do último ano e indicam uma injeção de aproximadamente R$ 53,5 bilhões na economia.

Além disso, espera-se que mais de 110,1 milhões de consumidores presenteiem alguém no Natal de 2018. Em termos percentuais, 72% dos brasileiros planejam comprar presentes para terceiros no Natal deste ano, número que se mantém elevado principalmente nas classes A e B (83%).

Apenas 9% disseram que não vão presentear — 26% porque não gostam ou não têm o costume, 23% por estarem desempregados e 17% por não ter dinheiro — enquanto 19% ainda não se decidiram.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a injeção desse volume de recursos na economia reforça o porquê a data é a mais aguardada do ano para consumidores e comerciantes. “Embora o cenário econômico atual não esteja tão favorável, a expectativa positiva para o Natal dá indícios sobre a disposição dos brasileiros em consumir”, afirma.

Em média, os consumidores ouvidos na pesquisa devem comprar entre quatro e cinco presentes. O valor médio com cada item será de R$ 115,90, sendo maior entre os homens (R$ 136,51). O levantamento também revela que o número dos que pretendem desembolsar entre R$ 101 e R$ 200 com presentes cresceu na comparação com 2017, passando de 10% para 16%. Esse percentual chega a mais de um terço (33%) na faixa acima de 55 anos. Há, contudo, uma parcela considerável de consumidores (33%) que ainda não decidiu qual ao valor a ser desembolsado.

Outro dado que sugere uma disposição maior de consumo para o Natal é que quase um terço (27%) dos entrevistados que compraram presentes em 2017 irá gastar um valor superior este ano — alta de oito pontos percentuais na comparação com o último Natal.

Por mais um ano, as roupas permanecem na primeira posição do ranking de produtos que os consumidores pretendem comprar para presentear no Natal (55%). Calçados (32%), perfumes e cosméticos (31%), brinquedos (30%) e acessórios, como bolsas, cintos e bijuterias (19%), completam a lista de produtos mais procurados para a data.

57% vão pagar presentes à vista; para quem parcela, dívidas vão durar, em média, quatro meses

De acordo com o levantamento, a maioria dos entrevistados (57%) vai optar por uma modalidade de pagamento à vista — percentual que sobe para 61% nas classes C, D e E. Os que vão utilizar alguma modalidade de crédito somam 40% dos compradores, dos quais 26% vão recorrer ao cartão de crédito parcelado, 10% preferem pagar no cartão em parcela única e apenas 2% devem usar o cartão de lojas.

Na média, as compras parceladas serão divididas entre quatro e cinco vezes, o que significa para o consumidor comprometer parte de sua renda com prestações de Natal até a Páscoa do próximo ano. Para 54% das pessoas ouvidas pela pesquisa que irão dividir o pagamento de suas compras, a escolha pelo parcelamento deve-se à falta de condições em comprar todos os presentes de uma única vez, enquanto 29% preferem parcelar para garantir sobras de dinheiro no orçamento e 25% esperam poder comprar presentes melhores.

Participe da quarta edição da ABCasa Fair, sétima maior feira do mundo e maior da América Latina de artigos para casa e decoração. A feira será realizada de 21 a 25 de fevereiro de 2019, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Se você está em busca de tendências e lançamentos do mundo todo reunidos em um só lugar, com a presença das maiores empresas do Brasil, faça seu credenciamento agora mesmo. Você evita filas e garante a melhor experiência de compra do setor, que vai mudar a história de vendas da sua loja. Marque na agenda e acesse o link para o credenciamento: http://abcasa.org.br/credenciamento

Leia Mais


Credencie-se para a próxima ABCasa Fair