Viajar influencia brasileiros a mudarem a decoração de suas casas

Mais da metade dos turistas brasileiros (76%) reconhece que a decoração da hospedagem de temporada os inspira a modificar o interior de suas próprias casas. Um em cada quatro (24%) afirma que a inspiração tem a ver com o fato de ficarem em uma acomodação com design de interiores diferente do que estão acostumados, enquanto 36% comentam que vivenciar culturas e modos de vida diversos durante as férias também serve como estímulo. Os dados são de pesquisa realizada pelo site Booking.

Trazer as lembranças das férias na volta para casa não precisa necessariamente envolver um grande projeto de reforma – os viajantes podem facilmente reproduzir um pedacinho da cultura e das cores regionais em sua vida cotidiana, de maneira simples, adquirindo itens de mobília durante os roteiros turísticos.

De acordo com o levantamento, os viajantes costumam comprar: artesanato local (68%), pequenas lembrancinhas, como imãs de geladeira (35%), obras de arte locais (34%), cerâmicas para a cozinha (31%), mobília (25%) e ornamentos (21%).

Além disso, a pesquisa revelou as tendências mais atraentes para ambientação de hospedagens. As descrições foram idealizadas pela premiada designer australiana Lucy Gough. Confira:

Azuis do Mediterrâneo

Este estilo atemporal é para deixar você sonhando com o oceano. A ambientação evoca bem estar e relaxamento e é caracterizada por uma paleta de cores fria, mínima, mas variada. Belos ladrilhos padronizados são o destaque desta tendência, assim como tecidos e texturas naturais como linho branco, móveis de madeira e piso de terracota.

Hotel fazenda interiorano

A aparência de hotel-fazenda do interior é definida pela estética maximalista, bem conhecida pelo uso de pedaços grandes de madeira resistente e rústica, além de materiais naturais como pisos de pedra, que transmitem a sensação de acolhimento e conforto. Nada é muito delicado em um hotel fazenda, pelo contrário, tudo é meio desgastado, porém escolhido com consciência. 

Estilo zen japonês

Os interiores japoneses são reconhecidos por sua forma e função. Originalmente governados pela estética diminuta do Budismo, os japoneses são conhecidos por seu uso consciente do espaço, com cada objeto tendo um propósito específico. A abordagem ‘menos é mais’ é aparente no design japonês, com destaque para cores neutras e tons naturais. 

Simplicidade escandinava

Este é um movimento definido pela simplicidade, minimalismo, utilidade e beleza. Conhecido por seu estilo reduzido, possui técnica impecável no seu núcleo. Madeira clara e limpa, formas simplificadas com cantos curvados aparecem na arquitetura e na mobília. Acessórios mínimos e uma quantidade suficiente de luz natural também pontuam esse jeito de decorar adotado no mundo todo. 

Estilo urbano chique

Leia também: Das passarelas para a sua casa, o xadrez Vichy nunca sai de moda

Janelas de cima abaixo com vista impressionante, tijolos expostos e pisos de madeira são um denominador comum em qualquer casa que ostente um interior com estilo urbano chique. Espaços planos abertos em larga escala, móveis sólidos e peças características e de presença marcante como candelabros e obras de arte, podem ser esperados. Outras tendências inspiradas nas férias de viajantes do mundo todo incluem o vintage parisiense (decorado de maneira opulenta com belas antiguidades), chalés alpinos confortáveis (inspirados nas florestas alpinas e montanhas cobertas de neve) e a elegância do Oriente Médio (design colorido apresentando diversos tecidos e texturas).

Credencie-se para a próxima ABCasa Fair
shares
X