Nature Flores investe em vendas on-line e redes sociais

A quarentena continua e a preocupação com a saúde dos pequenos e médios negócios, fechados por determinação das autoridades, é cada vez maior. Milhares de empresas já encerraram suas atividades, enquanto outras sobrevivem buscando alternativas para vender seus produtos e, dessa forma, passar por esse momento delicado.

Uma das modalidades que têm sido mais adotadas é a venda on-line, até então muito pouco explorada no País. Com as portas fechadas e quadros reduzidos de funcionários, as vendas realizadas por meio da internet se tornaram a principal atividade de empreendimentos de menor porte, ajudando-os a se manter em movimento.

A Nature Flores, importadora e distribuidora de plantas permanentes e produtos decorativos, com pontos de venda em São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG), também está com as lojas físicas fechadas e, por isso, voltou totalmente o seu foco para as vendas no meio digital, opção que já estava disponível aos clientes antes da quarentena.

Com a reestruturação dos processos, a empresa tem trabalhado de portas fechadas na separação e despacho de pedidos, além de realizar atendimentos virtualmente e por telefone. Com isso, as vendas por meio do site cresceram 50% desde o início da quarentena.

Segundo Eleny Inoue, sócia da Nature Flores, a prioridade da empresa é atender aos clientes da melhor maneira possível, enquanto faz a sua parte para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Temos facilitado as compras em nosso site, além de trabalhar em artigos do blog que ajudem os clientes e de postar vídeos em nosso canal no YouTube. Na retomada, pensamos em oferecer atendimento com hora marcada, compras on-line com retirada nas lojas e produtos que venham a tornar mais prática a vida dos nossos clientes”, explica Eleny.

De acordo com a outra sócia da empresa, Claudia Inoue, o momento agora é propício para a criação de oportunidades e também de se especializar e oferecer serviços. “No caso de plantas permanentes, é hora de fazer projetos de jardim vertical instalado, decoração de hotéis e restaurantes, além de mensalidade de arranjos prontos para decorar escritórios e lojas”, sugere.

Ambas concordam que algumas previsões são mais otimistas do que outras, mas o fato é que valores e hábitos mudarão. “Com a ansiedade do coronavírus, as empresas ainda precisam planejar o futuro de maneiras nunca antes consideradas. As compras on-line podem se tornar o novo ‘normal’ para a maioria dos consumidores após a pandemia”, destaca Eleny.

Embora seja necessário aguardar pela consolidação dos efeitos que o coronavírus causará à economia, o momento não é para uma abordagem de “esperar para ver” nem para hesitação. “Os varejistas precisarão criar oportunidades, além de utilizar e alavancar todos os seus ativos e influências para estimular e sustentar a demanda dos consumidores. Isso inclui manter e até aumentar os esforços de marketing digital no futuro próximo”, conclui Claudia.

Mais informações sobre a empresa podem ser obtidas através do site www.natureflores.com.br.


Entre em contato

shares
X