Sete estilos para decoração de casas e apartamentos

Em tempos de isolamento social, onde o novo normal é passar mais tempo em casa, nada melhor do que investir na decoração. Atualmente, há uma grande variedade de estilos para harmonização e embelezamento do lar.

Decorar a casa é prazeroso. Mas, ao mesmo tempo, não é fácil personalizar os ambientes quando se tem tantas tendências inspiradoras disponíveis. No universo de decoração, tudo gira em torno dos estilos.

Por isso, a ABCasa apresenta sete ideias que podem te servir como referências. Confira:

Campestre

O estilo campestre é muito parecido com o rústico, já que ambos estão ligados a elementos naturais e à simplicidade da vida no campo. Uma cozinha decorada com essa inspiração torna o ambiente acolhedor e proporciona uma sensação de sossego.

Embora esteja associado a antigas casas de campo, o estilo pode criar um ambiente com ar campestre em um apartamento, por exemplo, mesmo se o imóvel for localizado no centro da cidade.

Seu principal elemento é a madeira que, por ser um material marcante, não pode ser deixado de fora da decoração, especialmente em uma peça com aspecto mais rústico. Itens de tapeçaria com estampas florais, plantas, peças de couro (como uma poltrona ou um sofá) valorizam ainda mais o estilo.

Rústico

O estilo rústico é mais uma opção de decoração ideal para trazer um pouco da brisa e tranquilidade do campo aos espaços metropolitanos. A tendência explora as texturas e imperfeições dos elementos naturais, a exemplo de pedras, vime, madeira, cerâmica, linho, palha e couro.

O rústico é uma boa opção para salas e até cozinhas gourmet. Móveis em madeira crua (sem acabamento, pintura ou verniz), pedras brutas para revestimentos de paredes, paletts que se transformam em estruturas de camas ou sofás e poltronas em couro são alguns dos itens que compõem o estilo.

As texturas e as imperfeições dos móveis rústicos remetem a uma atmosfera vintage e aconchegante. Elementos naturais, como mobiliários de madeira, fibras nativas e acabamentos expostos ou envelhecidos, permitem criar ambientes despojados e elegantes. Além disso, na paleta de cores, o marrom da madeira e os tons claros garantem leveza e frescor.

Escandinavo

É um dos estilos que mais atrai seguidores pelo mundo, sendo originário dos países nórdicos, nos quais o inverno é rigoroso e mantém as pessoas em suas casas na maior parte do tempo. Com isso, a decoração do lar exige cores claras ou em tons pastéis para móveis e paredes, velas aromáticas, luminárias pendentes, tapetes ou mantas confeccionadas em pele de cordeiro.

Uma mistura do moderno com o tradicional, esse estilo de decoração de interiores surgiu ainda no início do século XX, influenciado pelas ilustrações do artista sueco Carl Larsson. A decoração escandinava também é muito convidativa, pois é ideal para pessoas que curtem passar bastante tempo em casa e, ao mesmo tempo, apreciam ambientes que combinem conforto e leveza com ares extremamente delicados e intimistas.

Mesmo tendo surgido no início do século passado, o estilo escandinavo traz um ar contemporâneo, já que é básico e aconchegante ao mesmo tempo, bastando apenas uma base de cores neutras, principalmente o branco, salpicada com tons vivos em alguns objetos e elementos levemente envelhecidos.

Contemporâneo

O estilo contemporâneo mistura materiais e matizes neutros. Seu objetivo é levar praticidade à rotina de quem o adota. Planejar um espaço com o estilo contemporâneo é a adequação da casa à vida moderna atual, sempre com bastante funcionalidade em cada item.

As decorações de estilo contemporâneo são marcadas pela aplicação de móveis com linhas retas, de visual clean, além de cômodos pintados por cores claras em tons mais chamativos. Esses destaques ficam espalhados pela composição, podendo estar nas almofadas usadas para o sofá, em um quadro principal da sala de estar ou nos adornos dispostos pelo ambiente.

Utilizar objetos mais retos, de preferência com a sua superfície lisa e acabamento tradicional, faz parte da decoração. O importante é que os itens devem ter sempre uma mistura de modernidade e simplicidade na mesma medida.

Vintage

A decoração vintage emprega o reúso de móveis antigos em bom estado de conservação. O conceito é caracterizado por peças criadas a partir da década de 1920 que ainda são referências estéticas e determinam tendências.

Os móveis vintage possuem um aspecto antigo devido a marcas causadas pelo tempo e uso, como arranhões, cores desbotadas, pintura descascada e superfícies desgastadas.

Cadeiras, cômodas, armários para TV, penteadeiras, sofás com pés de madeira e camas podem ser restaurados e ganhar lindos detalhes. Uma boa pintura também pode trazer um belo detalhe e ainda agregar com as cores da decoração.

Industrial

É uma das arquiteturas para design de interiores que mais trouxe novidades em termos de decoração, já que teve origem nas fábricas antigas. O estilo surgiu na cidade de Nova York em meados do século XX, período em que a densidade populacional da região estava crescendo e as pessoas transformaram antigos galpões em lofts modernos e ambientes integrados.

Entre as principais características deste estilo estão os espaços amplos e rudimentares, com suas estruturas expostas em contraste com uma decoração simples e, ao mesmo tempo, elegante. É possível incorporar o estilo industrial à decoração com mudanças simples nos acessórios, como lâmpadas suspensas e bancos de madeira. Aplicar papel de parede ou pintura para criar um efeito de tijolos ou concreto à vista também oferece mais personalidade para a sala de estar.

É uma proposta interessante para sair um pouco do convencional, já que imprime muita personalidade, jovialidade e ares despojados à decoração. Materiais como metais desgastados, tijolos à vista e pisos de cimento queimado fazem parte da decoração industrial, assim como elementos naturais, a exemplo da madeira. Em relação à paleta de cores, as tonalidades ideais sempre puxam para o cinza, cinza chumbo ou all white.

Minimalista

O minimalismo é um movimento cultural que surgiu na década de 1960. É um estilo de vida que segue o conceito “menos é mais”, uma vez que utiliza a quantidade mínima possível de peças na decoração, aplicando apenas o necessário para que os espaços tenham boa funcionalidade.

Na sala, a dica é utilizar somente uma mesa de centro espaçosa, um móvel para a TV e um belo sofá aconchegante. Os objetos decorativos podem ser inseridos, desde que sejam poucos e sutis, fazendo com que a ideia predominante seja a de ter mais espaço e menos itens.

O estilo minimalista é ideal para ambientes pequenos, pois as cores claras juntamente com os poucos objetos deixam o local mais amplo e harmonioso. Em cores neutras, com predominância do branco, preto e cinza, algumas peças coloridas, a exemplo de um sofá na cor bege, dão o contraste quando combinadas com uma iluminação natural.


Entre em contato

shares
X