Black Friday 2020: saiba como o mercado aguarda a data em tempos de pandemia

A Black Friday, uma das datas mais importantes para o comércio varejista mundial, se aproxima. Trata-se da quinta data mais importante do ano para o comércio brasileiro, atrás apenas do Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças e Dia dos Pais, respectivamente.

Em 2020, a ocasião será celebrada no dia 27 de novembro e, de acordo com a pesquisa Black Friday 2020, elaborada pela área de Inteligência de Mercado da Globo, as decisões de compra ganharam novos elementos neste ano influenciadas pela pandemia.

A pesquisa ouviu 1,7 mil pessoas e 65% delas disseram que comprar algo será uma forma de se presentear, enquanto 55% dos entrevistados afirmaram que vão priorizar as marcas que estão fazendo algo positivo durante a pandemia.

Nova realidade

Nunca o consumidor esteve tão atento e tão ligado em e-commerce como neste momento em que se atravessa uma epidemia. Sem poder se dirigir como antes às lojas físicas, seja porque estão fechadas como medida de segurança ou por receio de se expor, o consumidor enxerga no comércio eletrônico a melhor opção de compra.

A mudança de comportamento do público desperta nos lojistas a necessidade de focar em canais de vendas on-line, além de exigir cuidados específicos para preparar as lojas físicas para atender os consumidores seguindo as normas de saúde estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A maior parte dos participantes da pesquisa (55%) utilizará canais físicos e digitais para realizar suas compras, um crescimento de 17 pontos percentuais em relação a 2019. 29% pretendem comprar apenas pela internet e 16%, apenas por lojas físicas – para se ter uma ideia da nova realidade imposta pela pandemia, no ano passado a parcela de pessoas que foram às lojas físicas era de 35%.

Ainda de acordo com a pesquisa, as categorias mais desejadas para o consumo são roupas e acessórios (31%), smartphones (30%), eletrônicos (39%), calçados (26%), eletrodomésticos (23%) e perfumes e cosméticos (21%).

Vale ainda destacar que outras duas categorias tiveram um crescimento significativo de interesse em relação a 2019. São elas: móveis (saltando de 9% para 21%) e computador (de 11% para 20%).

Boom on-line

O primeiro impacto da pandemia no mercado on-line, obviamente, foi negativo, causando uma queda íngreme nas vendas pelo medo do desconhecido. Porém, em seguida, a partir de abril, os números começaram a se recuperar e as vendas on-line viveram um dos melhores momentos do ano.

De acordo com a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), o início da pandemia foi marcado pela abertura de mais de uma loja on-line por minuto. O aumento também foi percebido pelo Mercado Livre, que contou com mais de 5 milhões de novos usuários ativos na América Latina, registrando alta de cerca de 80% nas vendas em comparação com o mesmo período de 2019.

Nesse cenário de expansão do mercado on-line e, uma vez que as vendas não desaceleraram desde abril, quando o e-commerce brasileiro faturou R$ 9,4 bilhões, as expectativas das empresas com a Black Friday 2020 são as mais otimistas possíveis.

Lojas físicas

Se o mercado on-line cresceu significativamente desde o início da pandemia, as lojas físicas que não contam com sites de e-commerce atravessam um momento delicado. Algumas ficaram fechadas por algum período e outras permanecem sem abrir as portas.

O desafio para os empresários neste cenário é atrair os consumidores para as lojas físicas e a Black Friday pode ser um momento importante para que eles se aproximem dos seus clientes.

Para atrair os clientes, será necessário tomar as medidas de segurança e saúde para tornar a loja segura tanto para consumidor, quanto para o colaborador. É preciso adaptar o layout do espaço físico para visitas rápidas e treinar os funcionários para direcionar os clientes para as áreas corretas do estabelecimento, ganhando tempo.

Outra opção para aproveitar ao máximo as lojas físicas é torná-las centros de distribuição, interligando o on-line com o off-line (omnichannel), proporcionando uma melhor experiência de compra ao cliente, fidelizando-o.

Dica final

Se você é lojista de móveis e decoração, uma ideia interessante é agendar visitas à loja com hora marcada, respeitando as regras locais da cidade. Já no seu e-commerce, para chamar a atenção do cliente, invista em fotos com boa qualidade e detalhistas, além, claro, de destacar todas as informações sobre o produto.

Clique aqui e baixe nossa cartilha.

shares
X